quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Cabelo cortado em casa.
Uma boca suja e uma tara sem fim.
Um humor de outro mundo.
Uma série de tropeços, de risadas, de ironias.
Dois olhos apertadinhos,duas mãos,uma intensidade desmedida;
Uma coleção de cuecas coloridas, de DVDs, de lances de futebol.
Uma inocência dolorida.
Uma solidão bailarina.
Uma cama de solteiro, uma geladeira com cerveja, um edredon azul.
Um sarro, um Messi, um moleton.
Um desequilibrio, uma escova de dentes.
Uma viagem,um beijo, dois beijos, três.
Medo do escuro, muitas músicas,muitas loucuras.
Uma guitarra, um abraço, outro beijo.
Sua casa, minha casa, sua casa.
Lances de língua, sexo, sexo oral,formalidades.
Yakissoba,xingamentos,eu lavando seu cabelo.
Abraços, desabafos e chororôs.
Socos, tapas, poquêr e diversão.
Fim de semana só meu, só nosso.
Eu tua, video game, discussão.
Vai e volta, entra e sai.
Choro.
Sumiço.
Saudade.
Boas lembranças.

2 comentários:

  1. Adorei a forma com que você transformou seu fim de semana em poesia (pelo jeito ele foi bom)... Parabéns pelo Blog, continue postando, estarei lhe seguindo! Bjss
    .
    http://sublimeirrealidade.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Poética transformadora do comum. Adoro isso!

    Ah, na próxima, Dani, experimente doce de leite e tapa na cara, rs rs!!!!

    ResponderExcluir

 

Contador Grátis